Nova Petrópolis – Indiada gigante

Depois de várias semanas sem andar de MTB, um convite na semana passada para um pedal “felomenal”: Caxias-Nova Petrópolis-Linha Nova-Feliz-Vale Real-Forqueta Baixa-Loreto-Caxias.

Pelas contas do Gauer, em torno de 120Km.

Saída marcada para as 9:30 lá no posto da prefeitura. Cheguei um pouco antes e já havia uns malucos por lá. Horário estourando e faltava chegar o Baú. Quando saímos (ele ia ficar pra trás, horário é horário) ele vinha vindo.

Estávamos em 10: eu, Gauer, Jorge, Brito, Isac, Piu-Piu, Festugato 1, Festugato 2, Baú e o Demori.

Fizemos o roteiro básico pela Tronca até o quartel, pegamos a Rio Branco em direção a 3a. Légua. O combinado era descer pelo São Caetano, mas chegando na entrada, fizeram uma alteração e descemos pelo Belo. Combinamos uma descida conservadora, pois já havíamos tido duas ocorrências de quase queda.

Descida sem problemas, uma leve reunião na ponte e seguimos em direção ao asfalto da 452 e depois a BR116 até a saída para a Linha Temerária. Ali já percebemos que seria difícil manter o grupo unido, pois mesmo em ritmo moderado uns 3 ou 4 já estavam sobrando.

Chegamos na Temerária, novo agrupamento e começamos a subida para Nova Petrópolis. Pelas medições, a parte de subida teria algo em torno de 6Km. Os Festugatos foram na frente, eu em seguida e depois o resto do povo. Uma breve parada para umas fotos no meio do caminho (depois vou ver se descolo essas fotos pra colocar aqui), nova saída até o asfalto de Nova Petrópolis (na verdade é uma rua). Nesse ponto, quase secamos com o poço de uma casa, o casal muito simpático trouxe muita água, acho que até a do cachorro nós bebemos.

Saímos em direção a Linha Nova, um sobe-e-desce interminável, até que enfim começou a descida. Um estradão largo, eu estava indo bem até que minha corrente caiu e não consegui colocar ela de volta em movimento, aí sem pedalar fui ficando pra trás… e nessa vibração até minha câmara sobressalente foi pra valeta.

Lá em Linha Nova uma pequena reunião, algumas fotos, uma indecisão sobre comer ali ou não. A maioria decidiu ir até Feliz e comer lá.

Nova descida, estrada em obras, muitos trechos ruins. Quando a estrada melhorou um pouco, os Festugatos sentaram a bota, eu fui no vácuo e atrás de mim o Gauer. Chegamos em Feliz uns 5 minutos na frente do segundo grupo e uns 10 dos retardatários, que eu não lembro quem eram.

Em Feliz uma divisão na hora da comida: alguns ficaram numa casa de lanches (eu inclusive) outros foram para uma loja de conveniências e outros para um restaurante a quilo. Demoramos uns 30 minutos e já estávamos reunidos para a saída.

Sugeri irmos devagar, fazendo a digestão, mas ninguém me escutou. Eu prefiro ir lento nesses momentos e acabei ficando pra trás. Dei um tudão e alcancei os primeiros antes do Arroio do Ouro. Entramos na estrada em direção a Forqueta Baixa, agora tudo asfaltado (como aparece asfalto em ano eleitoral!), que parece pior do que antes… só tem subida.

Agrupamento e um guaraná na bodega do salão de Forqueta Baixa, e o começo do calvário.

Pra variar os Festugatos foram na frente, eu atrás e o resto da turma. Fomos juntos até que o Festugato 1 acelerou, o 2 e eu ficamos, o 2 parou pra tirar umas fotos e eu segui (não gosto de parar no meio do morro). O Festugato 1 estacionou na parada de ônibus eu cheguei em seguida. Esperamos uns 5 minutos pelo irmão dele e mais uns 10 pelo grosso da turma. Dali a pouco chegou o Demori (está melhorando) e ainda faltava chegar o Piu-Piu e o Isac. E demoraram cerca de 30 minutos ou mais.

Já estávamos preocupados quando eles chegaram. O Isac com cãimbras não conseguia pedalar. E celular era só pra fazer peso, não dava sinal.

Continuamos a subida até a segunda igreja e nada de sinal. Um pouco mais adiante, no alto de um morro, meu telefone ressuscitou. O Jorge ligou para a mulher vir fazer o resgate. Nesse ponto ficaram então: Jorge, Piu-Piu, Baú e Demori. Na encruzilhada da Pedreira Guerra, decidimos seguir adiante, mas juntos, pois a subida final pra cidade não é muito amigável.

A descida até a ponte está toda asfaltada (aquela que passa na frente da trilha dos macacos ou do barrão). A subida até Linha Feijó, idem. Estão asfaltando o trecho até a perimetral, sem esquecer da preparação do asfalto até o Loreto. Ano eleitoral!

Na parte que começa a chegar na cidade, procuramos andar todos juntos, segurando o ritmo na entrada, já que o Brito vinha cansadão. Mas no final, apesar dos olhares, deu tudo certo.

Nos despedimos na perimetral, uns para um lado, outros seguiram reto. Perdi a turma de vista ao parar numa sinaleira que não precisava (teoricamente) e acabei fazendo um atalho até em casa.

Distância: 127,6Km
Média: 20Km/h
Máxima: 75Km/h

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: